Abel Braga, o grande técnico do colorado! Nos meus 33 anos de idade, já escrevi sobre os maiores jogadores de futebol que vi nos gramados, e agora escrevo sobre o maior treinador que já vi no Sport Club Internacional: Abel Braga. Não sou muito de colocar a culpa nos treinadores, e poucas vezes “fiz campanha” para troca de treinadores no colorado, pois acredito que o principal são os onze jogadores que estão ali, dentro das quatro linhas. Mas com base nestes jogadores, digo, na qualidade que cada torcedor enxerga no plantel do seu clube do coração, criamos expectativas…

Considero o Muricy Ramalho um bom treinador, mas depois de três anos frente da equipe colorada, sem conseguir chegar numa final (Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Copa Sul-Americana), Muricy foi alvo das minhas críticas. O internacional tinha um grupo qualificado, montado também pelo Muricy e pelo então presidente do Interancional, Fernando Carvalho.

Gosto de futebol, e portanto acompanho o que acontece neste esporte dentro e fora do Brasil. Nesses meus 33 anos de colorado, fora o título da Copa do Brasil de 1992, minha melhor época como torcedor do Internacional tinha sido com o colorado sob o comando de Abel Braga, ainda no início de sua carreira. O Inter com Abel Braga venceu o gre-nal do século, com uma virada histórica com um jogador a menos em campo, vindo a sagrar-se vice-campeão Brasileiro. No ano seguinte a segunda melhor participação do colorado em uma Libertadores da América até então: 3° lugar.

Longe do Internacional Abel Braga ganhou campeonatos estaduais, ajudou a revelar bons jogadores no futebol nacional e chegou por duas vezes consecutivas final da Copa do Brasil (uma vez com o flamengo, e outra com o fluminense). Vale lembrar que com times relativamente “fracos”, onde na minha visão, o trabalho do técnico foi fundamental. Quando o colorado anunciou a saída de Muricy Ramalho em 2006, eu gostaria de ver o Abel Braga novamente no comando da equipe colorada… e foi quando o título deste post começou a ser criado: “O melhor Inter que já vi“!

Abel Braga chegou e começaram as mudanças… primeiro trouxe Fabiano Eller, cria sua, e o segundo melhor zagueiro que já vi jogar no beira-rio (o primeiro foi o Gamarra). Com Clemer no gol, montou a zaga com Fabiano Eller e Bolívar (que antes não era nem relacionado, agora era lançado como zagueiro). Sem Élder Granja na ala direita, Abel colocou Ceará (outro que não era aproveitado, e muito criticado), e Jorge Wagner na ala esquerda. Abel Braga também trouxe Fabinho para primeira função ao lado do incansável Tinga, Alex e Fernandão na meia, e Rafael Sóbis na frente. Uma campanha irreparável no gauchão, perdeu apenas um jogo no início do campeonato, e perdeu o título com dois empates na final. Foi duramente criticado por alguns que “achavam” que o inter tinha obrigação de ganhar do grêmio, e ainda golear. Imaginem que em um dos maiores clássicos do futebol Brasileiro, um time entra com a obrigação de ganhar e ainda golear…

Bom, dois empates em grenal não é nada absurdo, e eu continuava crente no bom trabalho que estava sendo feito. E a sequência deste trabalho o mundo já sabe: Campeão da Taça Libertadores (perdendo apenas um jogo), vice-campeão Brasileiro, e Campeão Mundial FIFA (lançando Alexandre Pato para o mundo, com apenas 17 anos). No ano seguinte, 2007, o Abel Braga não conseguiu uma boa participação na Taça Libertadores, eu acredito que em virtude do Internacional não ter reposto jogadores importantes que tinha perdido do plantel campeão de 2006 (principalmente na zaga). O Internacional vendeu jogadores como: Fabiano Eller, Bolívar, Fabinho, Tinga, Jorge Wagner, e Rafael Sóbis. Abel saiu após a eliminação do Inter na Taça Libertadores daquele ano, e voltou no segundo semestre de 2007 para o segundo turno do Brasileirão. Nesta fase, o técnico colorado começou a recriar a equipe… alguns jogadores importantes puderam estrear no colorado em agosto (Guiñazu, Magrão, Sorondo, volta de Fernandão de Lesão, término da suspensão de Marcão, etc..)

Este ano, o colorado já começou ganhando o torneio de Dubai, com um time todo remodelado, e mais uma vez tendo uma campanha impecável no campeonato gaúcho. Já na Copa do Brasil o Inter passou das duas primeiras fases da competição ganhando dos adversários por mais de dois gols de diferença. Sem necessidade de segunda partida. Dia 24 de abril deste ano, o colorado precisava golear o time do paraná para passar para a próxima fase da Copa do Brasil. Era necessário vencer por 3 gols de diferença, pois havia perdido o primeiro jogo por 2×0. Com dois desfalques importantes (Guiñazu e Alex), com vários jogadores no departamento médico em virtude de uma epidemia de Hepatite A, Abel armou um time que não só fez 3 gols de diferença, mas fez 4 (5×1, com mais uma aposta sua marcando dois gols e fazendo o passe para mais um, Andrézinho). Hoje, mais uma vitória épica aconteceu no beira-rio, o internacional sagrou-se campeão gaúcho pela 38ª vez, vencendo o Juventude por 8×1!

Esta o Abel estava devendo pois nunca havia ganhado um gauchão…

Abel Braga foi campeão da Libertadores ganhando do São Paulo de Muricy Ramalho, e que tinha o time atual campeão da competição, e campeão mundial. Ganhou o mundial FIFA enfrentando a equipe do Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, e neste ano de 2008 já ganhou o campeonato gaúcho e o torneio de Dubai, batendo a equipe da Internazionale.
Faço questão de escrever isto antes de saber se Abel levará o Inter a mais algum título ou não, mas porquê acredito que já está mais do que provado que Abel Braga foi o técnico das maiores conquistas do Sport Club Internacional, e hoje é um dos maiores técnicos do futebol Brasileiro. Seria interessante ver o confronto de Abel e Luxemburgo na Copa do Brasil, mas não será contra o Palmeiras que o colorado irá disputar a partida das quartas-de-final, e sim contra o Sport Club do Recife.
Por último, parabéns a todos os colorados espalhados pelo mundo, por mais esta conquista maiúscula! E seria bom que parcela da imprensa, e também dos torcedores do colorado, demonstrassem o respeito e reconhecimento que este grande técnico merece.